Tudo indica que não é só fofoca nem burburinho. Lendo diversos artigos sobre banco de dados e sistemas operacionais, deredhat-logo-cloud diversos cantos do mundo, é unanimidade que a Red Hat está substituindo o MySQL pelo MariaDB em seus repositórios.

Para quem está chegando agora, e, ainda não conhece o MariaDB, trata-se de um “fork” do MySQL, que utiliza, basicamente, o mesmo código fonte. Em outras palavras, 100% compatível com MySQL e, é mantido pela trupe do criador do MySQL: Monty Widenius.

Obviamente, os projetos que circulam a órbita do sistema Red Hat, tais, como o Fedora e o CentOS, ambos, seguiram a mesma linha, extirpando o MySQL de seus repositórios oficiais (digamos assim).

Isto é bom ou é ruim? Como praticante de Taichi, nada é, absolutamente, mal ou bom. Tudo tem um lado Yin e um lado Yang.

De um lado, certamente, tem um quê de “viadagem” do lado da RH que está “putinha” com o Oracle Linux. Certamente. Isto também é claro. De “boazinha” a RH não tem nada. Certamente, não está pensando nos milhões de usuários dos sistemas RH “like”. Fiz parte do projeto e da comunidade do Fedora, em seus primórdios, sei bem o que estou falando.

Agora, de outro lado, a conversinha mole que a RH tem distribuído na imprensa especializada, tem tudo para colar. E, é mais ou menos assim: A substituição do MySQL pelo MariaDB traz independência para a comunidade e para os usuários do MySQL/MariaDB, que segue, agora, um caminho de independência da Oracle, seja lá qual rumo a Oracle dê ao MySQL.

Sério? Parece conversa de petista mensaleiro!!!

Gosto muito do Monty, pessoalmente, e tem gente competente cuidando do MariaDB. Mas, até agora a Oracle vem me surpreendendo com a cara corporativa que tem dado ao MySQL.

Ambos: MySQL e MariaDB são uma excelente opcão em termos de banco de dados corportativo. A RH tem todo direito de colocar o que quiser em seu repositório. Só deveria ter uma área de comunicação mais atenta ao que distribui à mídia especializada.